• Essence

7 Passos para Gestão de Conflitos na Enfermagem




Liderar é um ato de gerir pessoas e não importa o local onde você atua, qualquer local que seja onde existir pessoas existirão também os conflitos.


É natural que ocorram desavenças na Enfermagem, pois somos seres com histórias diferentes, crenças diferentes e opiniões diferentes, porém conflito sem resolução pode causar baixa produtividade, perda de prazos e resultados ineficazes.


Por maior que seja a sinergia entre os profissionais de Enfermagem, inevitavelmente, haverá algum tipo de situação conflituosa, em determinados momentos. É aí que entra a necessidade de adotar medidas voltadas para a gestão de conflitos.

Os principais causadores dos conflitos são problemas pessoais ou profissionais e podem acontecer através de divergências de opiniões, indiretas jogadas para os colegas de trabalho. Em nosso cenário profissional os conflitos são ainda mais propícios de acontecerem, pois além das pessoas o ambiente também é de característica estressante. Portanto por pior que seja o cenário precisamos estar atentos e conhecer alguns fatores que já predispões os conflitos na Enfermagem e alguns deles são:


Mudanças: Seja na escala de folga, de férias, de atividades diárias, de setores ou atividades exercidas, a mudança é um dos principais causadores de conflitos em uma equipe de Enfermagem.


Choque entre plantões e setores: Um clássico gerador de conflito na Enfermagem, a famosa guerra entre plantão diurno versus noturno, ou PA contra UTI por exemplo. Esse choque virá uma sequência infinita de acusações de quem fez o certo e o errado nos atendimentos.


Competição entre os colaboradores: Podemos chamar de guerra de egos, quem é o melhor, quem faz mais rápido, quem é o mais capaz. Essa situação gera um fardo para qualquer pessoa que estiver envolvida.


Necessidade de Status: Outro fator desencadeante de conflito e muito triste por sinal e que infelizmente acontece demasiadamente na Enfermagem.


Desta forma listei 7 passos essenciais para conduzir conflitos de forma assertiva.


Primeiro passo: Conheça sua equipe, saiba quem é cada pessoa que a compõe, como ela se comunica, como enxerga as situações, como lida com os problemas, se ela é mais falante ou se é mais introspectiva. Conhecer o jeito de ser de cada um facilita o entendimento e a compreensão. Se permita conhecê-los mais profundamente, assim saberá os melhores caminhos para chegar no que cada um deles julga como importante. Quando eu me permito conhecer minha equipe mais a fundo eu conquisto meu espaço em sua zona de confiança, e quando a confiança existe entre líder e liderados a comunicação flui de forma mais harmoniosa.


Segundo passo: Seja imparcial, lembre-se você está ali para mediar e juntos acharem a melhor forma de resolver toda a situação. Favoritismo nunca deve existir, mesmo que um dos envolvidos seja seu amigo mais especial. Escute as duas versões a abra mão do seu julgamento pessoal, a discussão está em cima dos fatos e não das pessoas.


Terceiro passo: Escute, escutar é o elemento mais importante dessa mediação. Ninguém quer falar para não ser ouvido não é mesmo? Um líder que sabe gerenciar conflitos escuta muito mais do que fala. A empatia deve estar presente nessa escuta ativa e um dos principais pilares para ela acontecer é eliminar qualquer tipo de julgamento.


Quarto passo: Encare a realidade, enfrentar as situações como elas estão se apresentando e dar a devida importância a cada acontecimento é o caminho mais calmo para tomar as decisões necessárias para o progresso de todos.


Quinto passo: Compartilhe a decisão, isso mesmo, lembre-se que o principal intuito é chegar em um acordo que seja bom para todos os lados, isso faz com que os envolvidos se sintam respeitados. Após a escuta ativa é hora de trilhar o novo caminho juntos.


Sexto passo: Tire todas as dúvidas, agora que cada um já sabe os próximos passos tire todas as dúvidas. Nâo se esqueça de perguntar se existem algum fator a mais que ainda queiram discutir, para que assim o conflito seja encerrado a partir daquele momento.


Sétimo passo: Acolha, não menos importante realizar o acolhimento e ressaltar a importância que cada um tem é fundamental para que todos se sintam essenciais para a equipe.


E lembre-se: Não resolver um conflito pode levar ao confronto entre as pessoas e quebra nas relações interpessoais.

238 visualizações3 comentários